Memórias de Inverno




Sentada no sofá, embrulhada numa manta e acolhida pelas chamas provenientes da lareira, recordo o dia em que me deixaste. Não me perguntes porque te lembro agora, porque eu não sei concretamente, mas talvez seja a falta do teu corpo junto ao meu nos dias de frio. Talvez seja a falta que eu sinto dos dias de Inverno em que me arrastavas da cama cedo apenas para irmos dar um passeio de manhã, bem cedo, e apreciarmos a beleza do inverno. Ou talvez seja a falta que sinto dos imensos domingos que passávamos embrulhados um no outro, no sofá da sala e a vermos filmes e mais filmes, enquanto olhares e sorrisos apaixonados eram trocados entre nós.

Mas nada disso aconteceu no primeiro dia de inverno, aquele em que me deixaste. Tu estavas tão frio como o tempo e tão distante como os dias de verão. Os teus olhos pareciam não ter nenhuma da vivacidade e energia a que me tinhas habituado e o teu corpo era a única coisa que parecia estar presente. E tu foste pragmático. Tu disseste que irias embora. Que nós não seriamos mais nada, juntos. E depois eu vi um flash nos teus olhos, uma centelha de brilho, de mágoa, de dor, de tristeza e tu disseste-me algo que serei incapaz de esquecer.

Sê feliz. Desejo-te o melhor, porque tu mereces tudo neste mundo. Só te quero pedir que não me esqueças.

Depois disso, os teus olhos voltaram a ficar vazios. Nunca hei de entender o porquê de toda a tua atitude nem o porquê de teres dito o que disseste. Chegaste perto de mim, deixaste um curto beijo na minha testa e desapareceste da minha vida. Os nossos amigos também pouco sabem sobre ti e o que sabem vão-me dizendo indiretamente, para que a dor dentro de mim não seja tão grande. Disseram que foste trabalhar para outro país com a tua irmã mais velha e que não tens planos de voltar aqui. Disseste-lhes que tudo o que este país te dá são memórias que queres esquecer e a partir daí eu presumi que eu fosse uma dessas memórias.

Infelizmente, agora também és apenas uma memória, mas eu cumpro sempre aquilo que prometo e eu acedi ao teu pedido e prometi que nunca te esqueceria, por isso nunca serás uma memória que quero esquecer. Porque eu amei-te tanto. Tu foste o meu primeiro amor e esse nunca se esquece. E nunca se ultrapassa verdadeiramente o amor que sentimos por aquela pessoa que fez o nosso coração bater mais forte pela primeira vez, por isso eu sei que te hei de amar para sempre.
E tudo o que mais desejo, é que também tu me ames para sempre e nunca me esqueças. 

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Love Yourself

Feliz Natal! | 2016

10 Factos Curiosos sobre Harry Potter