Dreams come true


(Acreditem ou não, já comecei a escrever este texto mais de cinco vezes e nunca me pareceu bom o suficiente, mas prometo que desta é de vez, mesmo que não fique assim tão bem.)

Um ano. Passou um ano e, honestamente, eu nem sei o que fiz durante todo esse tempo. Pareceram-me apenas meses, ou mesmo semanas. Foi tudo tão rápido. Sinto que fechei os olhos por instantes e, puff... Lá se passou um ano. Lembro-me claramente dos dias que antecederam a grande viagem, bem como os que a sucederam, daí tudo me parecer demasiado recente para ter passado um ano. E lembro-me dos meus sentimentos, do meu estado de espírito. Tudo em mim estava em alvoroço, o que era normal, e agora sinto falta desse sentimento. Desse entusiasmo. Desse frio na barriga. Da ansiedade. Sinto tantas saudades!

Nós nunca acreditamos que podemos concretizar os nossos sonhos até, efetivamente, os concretizarmos  e aí percebemos que não é assim tão difícil, mas temos de lutar muito por aquilo que acreditamos. Com esforço e dedicação, nós podemos sempre alcançar os nossos objetivos e tornar os nossos sonhos realidade. E o sentimento de dever cumprido, de que conseguimos, é um dos melhores de sempre. É uma mistura incrível de alivio, de orgulho e de felicidade - uma coisa verdadeiramente inexplicável. Só acreditamos que é verdade quando finalmente acontece e esse impacto com a realidade é... De cortar a respiração, honestamente. 



Tenho saudades de Londres. Da cidade em si, mas não só. Tenho saudades de tudo o que Londres representa para mim, neste momento. De tudo o que me vem à cabeça quando penso nessa viagem. Tenho saudades das pessoas que me acompanharam; das ruas; de ouvir o sotaque britânico em todo o lado; de andar de metro e fazer figuras parvas sem me importar com as outras pessoas porque, na verdade, elas não me conhecem e não me percebem; tenho saudades de visitar os sítios emblemáticos com os quais sempre sonhei; tenho saudades do tempo inconstante... Tenho saudades de tudo, basicamente. Acho que se quisesse continuar esta enumeração, nunca mais sairia daqui. Lembrar-me-ia sempre de um outro pormenor de que tenho saudades. 

Desejo voltar a Londres no futuro, é certo, mas sei que essa viagem não me irá marcar da mesma forma como esta me marcou. Primeiro, porque foi a minha primeira vez na cidade, foi o realizar do sonho. Depois, porque partilhei esse momento com pessoas realmente importantes para mim, com os meus melhores amigos, com pessoas que, talvez, na próxima viagem, já não façam parte da minha vida. Sim, isto porque as pessoas não permanecem para sempre connosco - pelo menos, a grande maioria delas. Mas aí é que entra uma coisa fantástica chamada memórias. Essas nunca mudam, mesmo que as pessoas mudem, mesmo que as circunstâncias ou os lugares mudem. As memórias permanecerão para sempre connosco e são elas que me dão alento. São elas que hoje me fazem sentir saudades, ter vontade de repetir, sorrir e chorar ao mesmo tempo. 

Estou a alongar-me e a fazer cada vez menos sentido, eu sei, mas achei que tinha de partilhar este misto de sentimentos, no qual predomina a saudade, convosco. E queria só dizer-vos que vale sempre a pena lutarmos pelos nossos sonhos, porque é incrível sentirmo-nos realizados e sentirmos que conseguimos realmente. 

(Pronto, e aqui estou eu quase a chorar. Que piegas que eu sou!)



Comentários

  1. Não imaginas as saudades que tenho da nossa querida cidade! :)
    Beijinhos grandes e muitas felicidades! <3

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Imagino... Tenho andado cá com umas nostalgia!
      Obrigada e igualmente! <3 Beijinhos

      Eliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Love Yourself

Feliz Natal! | 2016

10 Factos Curiosos sobre Harry Potter