Carta A Mim Própria


Querido eu do passado,

Espero que estejas orgulhosa da pessoa que sou hoje. Cresci bastante, não concordas? Amadureci. Tornei-me numa mulherzinha. Mas nada disso teria acontecido se tu não tivesses passado por coisas que passaste. Foi duro, eu sei. Sei que houve dias em que achaste que ias rebentar, que ias explodir com toda a mistura de coisas que sentias mas parece que conseguiste, hã? Conseguiste ultrapassar todas aquelas noites em que te apetecia chorar; conseguiste ultrapassar todas aquelas manhãs em que não querias sair da cama porque não querias enfrentar a realidade. Conseguiste ultrapassar coisas que as pessoas nem sonham que passaste. Escondeste bem a tua dor, sabes? Talvez isso te tenha feito sofrer mais, o estares sozinha na tua dor, mas sabias que era o melhor para todos. Sofreste calada. Choraste muitas vezes sem ninguém saber. Sentiste raiva. E eu ainda sinto alguma dessa raiva que ficou acumulada. Mas agora afasto-a de mim, porque o passado já lá vai e não gosto de guardar rancores.

Sofreste por amor, revoltaste-te com esse mesmo amor e eventualmente seguiste em frente. Se hoje ainda penso nisso? Claro que penso. Ponho-me a pensar como tudo podia ter sido diferente. Ponho-me a pensar no que podias ter feito e não fizeste. Mas sabes que mais? Tristezas não pagam dívidas e não é por pensar ou falar no passado que ele vai ser alterado. Porra, eu estou orgulhosa de ti, do que passaste e do que conquistaste e não vou deitar tudo a perder. Vou continuar a trilhar o caminho que construíste, um caminho de objetivos definidos, de lutas, onde eu estou acima de qualquer outra coisa. Tu ensinaste-me a gostar de mim e a preocupar-me comigo antes de qualquer outra pessoa. Egoísmo? Não, eu chamo-lhe amor-próprio, que também é preciso.

Às vezes, penso em ti e no que tu terias feito em certas circunstâncias. Depois, lembro-me de tudo aquilo por que passaste e percebo que não somos assim tão diferentes. A única diferença é que eu sou o resultado das experiências, boas e más, pelas quais passaste. Sou o resultado das facadas nas costas que levaste, das mentiras que ouviste, das ilusões que te criaram, das desilusões que sentiste, dos momentos de felicidade e dos momentos de angústia, dos dias de sol e dos dias chuvosos, dos sonhos que realizaste, das pessoas que conheceste e das pessoas de quem te despediste. Sou o resultado das tuas conquistas e dos teus falhanços. Sou o produto final do teu crescimento. E ainda hei de passar por outras tantas experiências que me irão aperfeiçoar enquanto ser humano, que me farão crescer e que darão origem ao nosso eu do futuro.

Hoje faço dezasseis anos e sinto-te comigo. És a minha parte mais ingénua, a parte mais sofrida. És o lado de mim que mais aprendeu e que mais me fez crescer. Por isso, obrigada. Foste uma autêntica guerreira e, de hoje em diante, espero fazer jus aos ensinamentos que me deste e crescer cada vez mais, de modo a tornar-me numa pessoa da qual tu te orgulhes.


Parabéns a nós e que o nosso futuro seja cada vez mais brilhante.


Comentários

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Love Yourself

Feliz Natal! | 2016

10 Factos Curiosos sobre Harry Potter