"Marcas Violentas - Porque namorar não é magoar"


Nesta quarta, dia 25 de janeiro, tive a oportunidade de ir ao teatro - algo que gosto bastante de fazer, mas que nem sempre tenho oportunidade - com a escola, ver uma peça denominada "Marcas Violentas - Porque namorar não é magoar", encenada pela companhia ContraPalco Produções de Teatro.



Pelo título, é-nos fácil perceber qual o tema desta peça - violência no namoro - que, infelizmente, é bem mais atual do que deveria e mais relatable (não me julguem, mas não sei como traduzir isto). Para mim é incrivelmente triste vermos a quantidade de pessoas que, hoje em dia, se conseguem identificar com este tópico e isso, honestamente, é algo que me deixa frustrada. Vivemos no século XXI, todos os dias são reportados casos de violência doméstica para os quais os jovens são alertados e, mesmo assim, ainda há tantos casos de violência no namoro. O que eu quero dizer é que, num mundo onde há tanta informação, não se entende como é que jovens conseguem agir como Homens pré-históricos (exagerando, como é óbvio) e como é que as vítimas aguentam esse tipo de comportamentos como algo normal quando deveriam reprová-lo e afastar-se das pessoas que agem desse modo para com elas. 

A peça aborda este tema "denunciando" três casos: o da Sofia e do Duarte, o da Madalena e do Luís, o da Leonor e do Pedro. As três relações abusivas, nas quais a vítima se recusava sempre a aceitar que a outra pessoa não a amava, mas apenas a controlava de forma obcecada. E aqui, faço um parêntesis para recordar que obsessão não é amor. Continuando... Ao longo da peça somos presenteados com cenas de violência verbal e física, opressão por parte de um dos elementos do casal e de deterioramento do psicológico das vítimas, vítimas essas que só chegadas a um extremo se apercebem que nada daquilo é/foi por amor. 

Cada momento deixa-nos a pensar sobre a nossa própria vida, mesmo que nunca tenhamos sofrido violência no namoro. Cada cena faz-nos refletir sobre qual é, realmente, o significado de amor e até onde é que as coisas são toleráveis e a partir de onde é que já não são aceitáveis. Esta peça permite-nos ver em retrospetiva todo o mundo que nos rodeia e pensar sobre nós mesmos, sobre a nossa própria vida e perceber que temos de estar muito atentos a cada sinal para evitarmos passar por aquilo que aquelas personagens passaram.

Gostei imenso da peça. Acho que foi um ótimo exercício de reflexão e de capacitação de que, apesar de estarmos no século XXI, este mundo continua recheado de injustiças, de pessoas maldosas que só pensam em si próprias e que não conseguem ter amor por mais ninguém. Os atores eram impecáveis - e aqui destaco a atriz que desempenhou dois papeis, o de Sofia e o de Leonor, que foi irrepreensível e brilhante em cada linha do seu papel. Sem dúvida que fiquei com vontade de conhecer as restantes peças da companhia (também direcionadas a um público mais jovem), como a peça "Bullying - Uma História de Hoje" ou a peça "Revela-te".


Para terminar, deixo-vos um excerto da peça.
"A vida é bem complicada, mas não há nada que não se resolva. No momento em que o Pedro levantou a mão para agredir mais uma vez a Leonor, as coisas não correram bem para o lado dele..."

Espero ter-vos deixado curiosos! Ah, e não se esqueçam: "namorar não é magoar".

Comentários

  1. ohh gostava imenso de poder ir ver esta peça. Este é um assunto muito importante porque as vezes esta a acontecer mesmo ao nosso lado, com amigos nossos e nos nem damos conta. Está na altura de estarmos todos mais atentos
    beijinhos

    http://umacolherdearroz.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É isso mesmo! Muito obrigada pelo teu comentário!
      Beijinhos

      Eliminar
  2. Me pareceu ser uma peça muito interessante, cheia de reflexões importantes (especialmenta para os jovens, em formação emocional mais recente). Adoraria assistir!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Concordo contigo - está cheia de coisinhas que nos fazem pensar sobre tópicos importantes! Obrigada pelo teu comentário.
      Beijinhos

      Eliminar
  3. Muito obrigada querida!!
    Fiquei muito curiosa em relação à peça! Infelizmente é mesmo um assunto muito presente dos nossos dias e estamos já tão "evoluidos" que isto nem devia acontecer!

    LOOKBOOK Ying Yang
    http://photographybyvania.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada eu, pelo teu comentário super querido!
      Concordo plenamente contigo!
      Beijinhos

      Eliminar
  4. É importante que se fale mais e mais no assunto, para ver se as pessoas se consciencializam!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sem dúvida! Nunca é demais falar sobre assuntos atuais e que ainda não estão resolvidos (nem sei se algum dia estarão, porque a crueldade humana é infinita).

      Obrigada pelo comentário!
      Beijinhos

      Eliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Love Yourself

Feliz Natal! | 2016

10 Factos Curiosos sobre Harry Potter